Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2019

Conferência AESAS - Parte 2: O Vapor

Como mencionamos no último artigo, a essa altura, todo o mercado já sabe que houve, no início de julho, a I Conferência AESAS de Gerenciamento de Áreas Contaminadas, e que ela foi um tremendo sucesso.

(OBS: Leia nosso texto sobre a Conferência aqui)

Na minha visão particular, além do que já escrevemos, esqueci de mencionar que é, além de tudo, uma ótima oportunidade para rever muitos amigos!!! Amigos antigos e novos, amigos-alunos, alunos-amigos, amigos-professores, amigos-clientes e por aí vai. Infelizmente não consegui conversar com todos, mas haverá novas oportunidades, com certeza.
Outro ponto de destaque para mim, e que me trouxe muita alegria, foi ver muitos alunos e ex-alunos apresentando trabalhos de primeiríssimo nível. Apresentações orais muito bem sustentadas, posteres muito bem elaborados, enfim, a nova geração mostrando a que veio, e certamente vão dominar rapidamente o nosso mercado. Espero que deixem ainda algum espaço para os "velhotes"...

Assisti com bastante…

Conferência AESAS - Parte I

A essa altura, todo o mercado de áreas contaminadas sabe que aconteceu, entre 02 e 04 de julho de 2019, no Centro Universitário SENAC, a I Conferência AESAS de Gerenciamento de Áreas Contaminadas.
A ECD esteve presente nos três dias de Conferência.
Foi realmente um evento excelente, muito bem organizado pela Soldí , idealizado e promovido pela AESAS  em mais uma ação da parceria dessa entidade com os Cursos de Pós-Graduação em Remediação e Gerenciamento de Áreas Contaminadas do Centro Universitário SENAC, dos quais a ECD tem a honra de ser uma das colaboradoras e de ter em seu corpo docente o Diretor Técnico Marcos Tanaka Riyis.
Há, certamente, muitas coisas a comentar sobre esse evento, mas nesse texto, falaremos sobre o contexto mais "global" da Conferência.
Foi um grande marco para o mercado de Gerenciamento de Áreas Contaminadas (GAC), pois deu a sensação em todos os presentes que evoluímos muito tecnicamente nos últimos anos, que o mercado é mais forte e pujante do que …